+ Liberdade de Expressão

Posts Tagged ‘ciência

Desmentindo os dogmas neo-ateístas: Religião não é contra a ciência. Tuitaço #religiaoeciencia 25/2/2011

with 3 comments

 

Nesta sexta-feira, 25/02/2011, ocorre uma manifestação via Twitter – um “tuitaço” com a tag #religiaoeciencia – com o objetivo de esclarecer que não existe oposição ou incompatibilidade entre ciência e religião.

Uma das costumeiras táticas da militância neo-ateísta é empurrar a falsa idéia de que a religião, especialmente o cristianismo, seria “inimigo” da ciência, e que não haveria possibilidade de se conciliar razão e fé. Tal desinformação, muito propagada pelos meios de comunicação,  tem sido exaustivamente refutada por pessoas atentas às intenções políticas e ideológicas do movimento neo-ateu e seus parceiros (abortistas, gayzistas, comunistas, “progressistas”, materialistas, etc.), como se pode conferir nos sites Luciano Ayan ,  A Busca pela Verdade , Teísmo.Net , Perspectivas , Quebrando o Encanto do Neo-Ateísmo , Distopia Revelada , Darwinismo , Fé, Ciência e Etc. , Fé e Razão / Fides et Ratio , Polimático , O Aforista e outros.

Diferentemente do que às vezes alega defender (racionalidade, pluralismo, tolerância, liberdade, etc.), o movimento neo-ateísta tem se notabilizado pela extrema intolerância: censura a oponentes por meio de processos judiciais, campanhas difamatórias, tentativas de proibição de crucifixos e símbolos religiosos, esforço em tentar suprimir a participação de religiosos nos debates públicos. O hábito falacioso de associar necessariamente ciência ou racionalidade ao ateísmo e ignorância à religião é uma das estratégias dos militantes ateus e seus parceiros para tentar impor sua visão de mundo e seus interesses políticos à sociedade.

O twitaço #religiãoeciência é uma iniciativa de Michelson Borges. Leia mais sobre a mobilização nos posts abaixo, reproduzidos de seu site Criacionismo. Clique nas figuras para ampliá-las.  

Veja também a campanha “Ciência não é contra religião!” nos sites Teismo.Net e Quebrando o Encanto do Neo-Ateísmo .

Nota: Independentemente de se defender as teorias do evolucionismo, criacionismo ou design inteligente, consideramos que o mais importante é contestar a propaganda enganosa neo-ateísta que tem buscado divulgar idéias distorcidas a respeito da suposta “oposição” entre religião e ciência.

Para acompanhar os comentários no Twitter, clique nas várias opções de busca:

http://search.twitter.com/search?q=%23religiaoeciencia&lang=all 

http://search.twitter.com/search?q=%23religiaoeciencia 

http://search.twitter.com/search?q=religiaoeciencia

http://twitter.com/search?q=%23religiaoeciencia 

* * *

Sábado, Fevereiro 19, 2011

Religião não é contra a ciência 

Inspirado na campanha “Ciência não é contra Religião”, encabeçada pelos blogs www.teismo.net e www.quebrandoneoateismo.com.br, o blog www.criacionismo.com.br está promovendo também a campanha “Religião não é contra a Ciência”. Muitos ateus militantes e darwinistas tentam convencer os desavisados de que a ciência é incompatível com a religião bíblica. Nada mais falso. Na verdade, o método científico nasceu num contexto cristão, tendo os primeiros cientistas sido verdadeiros crentes na Palavra de Deus. Para fazer frente a essa ideia preconceituosa, elaboramos seis banners (três dos quais estão aí abaixo) com destaque para seis cientistas religiosos que provam a compatibilidade entre o pensamento científico e a religião baseada na Bíblia.

Ajude-nos a divulgar essas imagens (e as próximas três que publicarei em breve) no Orkut, Facebook, Twitter e em blogs/sites. E na próxima sexta-feira, dia 25, participe do tuitaço com a tag #religiaoeciencia

Mais próximo da data, postarei aqui algumas sugestões de conteúdos para o tuitaço. Participe![MB]

Fonte: http://www.criacionismo.com.br/2011/02/religiao-nao-e-contra-ciencia.html 

* * *

Quarta-feira, Fevereiro 23, 2011

Sugestões para o tuitaço #religiaoeciencia 

No próximo tuitaço promovido pelo blog http://www.criacionismo.com.br (dia 25, a partir das 18h), será usada a tag #religiaoeciencia. Ao contrário do que alguns possam pensar, a ideia não é promover a controvérsia artificialmente alimentada pela mídia entre a ciência e a religião. O objetivo é justamente o contrário disso – queremos mostrar que a ciência experimental (método) e a teologia bíblica são duas ótimas lentes para compor uma cosmovisão útil com a qual se possa entender melhor a realidade que nos cerca. Assim fizeram os cientistas que criaram o método científico, homens do quilate de Galileu Galilei e Isaac Newton (clique aqui). Assim fizeram grandes pensadores como Blaise Pascal e Antony Flew. Assim fazem muitos cientistas atuais, como Ruy Vieira e Marcos Eberlin (veja os banners abaixo e espalhe-os na internet). Ajude-nos a mostrar para muita gente que os religiosos podem amar a ciência tanto quanto os cientistas podem amar a religião. Corretamente compreendidas, essas duas áreas nos levam ao verdadeiro conhecimento e à Fonte desse conhecimento verdadeiro. Participe do tuitaço e ajude a espalhar os banners dessa campanha.

 

Sugestões de conteúdos para serem tuitados (basta copiar e colar em seu Twitter):

Leia a coluna “Ciência e Religião”: http://bit.ly/8Ekc2q >> #religiaoeciencia

Leia a coluna “Ciência e Criacionismo”: http://bit.ly/gRSolJ >> #religiaoeciencia

Jornalismo, teologia e ciência http://bit.ly/e5tehT >> #religiaoeciencia

Deus – mais uma biografia não autorizada http://bit.ly/ihtUr6 >> #religiaoeciencia

Papa afirma que Deus é responsável pelo Big Bang http://bit.ly/gpG9iW >> #religiaoeciencia

Mistura impossível http://bit.ly/4WWNlK >> #religiaoeciencia

Cosmos versus caos, ou discurso conveniente? http://bit.ly/fJIeWG >> #religiaoeciencia

Jornalismo, teologia e ciência http://bit.ly/e5tehT >> #religiaoeciencia

O que é ciência? http://bit.ly/g14xFW >> #religiaoeciencia

Em busca das digitais do Criador http://bit.ly/cws8IB >> #religiaoeciencia

O berço da ciência http://bit.ly/gYUubr >> #religiaoeciencia

Apologética cristã: uma necessidade presente http://bit.ly/bZo5Qk >> #religiaoeciencia

Ele harmonizou a fé com a razão http://bit.ly/djJkyj >> #religiaoeciencia

Não se pode explicar o universo sem Deus http://bit.ly/gfQ4wK >> #religiaoeciencia

Professor da Unicamp defende design inteligente http://bit.ly/9ife3T >> #religiaoeciencia

Assinatura química do Criador http://bit.ly/aopmZ >> #religiaoeciencia

Sobre as origens http://bit.ly/9ZJm8p >> #religiaoeciencia

Entrevista para o Correio Braziliense http://bit.ly/68DWl >> #religiaoeciencia

Gazeta do Povo dá espaço a biólogo criacionista http://bit.ly/h6oJ8m >> #religiaoeciencia

O criacionismo no ano de Darwin http://bit.ly/bozxtY >> #religiaoeciencia

Educação, ciência e… Deus http://bit.ly/gz38Bj >> #religiaoeciencia

A História da Vida (edição revista e atualizada) http://bit.ly/hgezMg >> #religiaoeciencia

O benefício da dúvida http://bit.ly/e09x92 >> #religiaoeciencia

Robert Boyle, o cientista cristão à frente de seu tempo http://bit.ly/gfn0Vu >> #religiaoeciencia

O que os cientistas pensam sobre religião http://bit.ly/hjBNjJ >> >> #religiaoeciencia

Vídeo “Por Que Creio em Deus” http://bit.ly/gyihph >> #religiaoeciencia

A fé de Von Braun http://bit.ly/efe4bp >> #religiaoeciencia

Estão redescobrindo o Newton religioso http://bit.ly/fv0q1V >> #religiaoeciencia

Simetrias da criação, mistério de Deus http://bit.ly/hebU0a >> #religiaoeciencia

Isaac Newton: cientista e teólogo http://bit.ly/fW0CUl >> #religiaoeciencia

Quem alimenta a controvérsia ciência x religião http://bit.ly/e13uKn >> #religiaoeciencia

Também é preciso ter fé na ciência http://bit.ly/hPXSR7 >> #religiaoeciencia

Religião estereotipada http://bit.ly/gzONju >> #religiaoeciencia

Pasteur e a Bíblia http://bit.ly/geg1Ri >> #religiaoeciencia

Como se faz ciência http://bit.ly/hjCRXd >> #religiaoeciencia

Adventistas que fazem ciência http://bit.ly/ia8s5f >> #religiaoeciencia

A dívida da ciência http://bit.ly/ej8Wum >> #religiaoeciencia

A Religião do Cérebro http://bit.ly/fGbSgR >> #religiaoeciencia

Os físicos e a Bíblia http://bit.ly/gfrrCL >> #religiaoeciencia

Fonte:  http://www.criacionismo.com.br/2011/02/sugestoes-para-o-tuitaco.html

* * *

Outros posts do blog de Michelson Borges sobre o tuitaço anterior, de 2010:

Tuitaço criacionista – http://www.criacionismo.com.br/2010/08/tuitaco-criacionista.html 

Mais sugestões para o tuitaço desta sexta-feira – http://www.criacionismo.com.br/2010/09/mais-sugestoes-para-o-tuitaco-desta.html 

* * *

Anúncios

‘Conferência Nacional de Cultura’: Mais uma tentativa de controle da sociedade

leave a comment »

Revista Veja – Edição 2149 / 27 de janeiro de 2010

Cultura: Mais uma tentativa de controle da sociedade 

Brasil

A obsessão totalitária

Censurar a imprensa e impedir o fluxo de ideias no Brasil é a única bandeira genuinamente comunista que sobrou aos petistas

 

Fábio Portela
 

Um observador ingênuo pode não entender a obsessão de petistas, manifestada desde o momento zero do governo Lula, de abolir a liberdade de expressão no Brasil. Afinal, em sete anos de administração do país, alguns fizeram enormes avanços pessoais e coletivos. Aumentaram o patrimônio, passaram a beber bons vinhos e a vestir-se com apuro. A política econômica é modelo até para os países avançados e as conquistas sociais fazem inveja a reformadores de todos os matizes ideológicos. Destoam desse rol de avanços a diplomacia megalonanica e a inconformidade com o livre trânsito de ideias no país. O próximo ataque organizado à liberdade de expressão se dará em março, com a Segunda Conferência Nacional de Cultura (CNC). Apesar do nome pomposo, ninguém irá lá para discutir cultura. Os petistas vão, mais uma vez, tentar encontrar uma forma de ameaçar a liberdade de imprensa e obrigar revistas, jornais, sites e emissoras de rádio e TV a apenas veicular notícias, filmes e documentários domesticados, chancelados pelos soviets (conselhos) petistas e reverentes à ideologia de esquerda.

O evento é a continuação por outros meios da batalha pela implantação da censura à imprensa no Brasil. Isso começou em agosto de 2004, com a iniciativa, abortada, de criar um Conselho Federal de Jornalismo (CFJ). Nos últimos meses foram feitas mais duas tentativas. Uma delas na Conferência Nacional de Comunicação (Confecom). A outra com o PNDH-3, o Programa Nacional de Direitos Humanos. O que o CFJ, a CNC e o PNDH-3 têm em comum? Todos embutem a criação de um tribunal para censurar, julgar e punir jornalistas e órgãos de comunicação que desobedeçam às normas governamentais. É um figurino de atraso.

Por que essa obsessão não se dissipa? Primeiro, porque ela é a única bandeira que sobrou às esquerdas cujas raízes podem ser traçadas ao seu berço comunista no século XIX. A censura à imprensa é uma relíquia esquerdista, um bicho da era stalinista guardado em cápsula de âmbar e cujo DNA os militantes sonham ainda retirar e com ele repovoar seu parque jurássico. Todas as outras bandeiras foram perdidas. A do humanismo foi dinamitada pela revelação, em 1956, dos crimes contra a humanidade perpetrados por Stalin. A da eficiência econômica e a da justiça social ruíram com a queda do Muro de Berlim, em 1989. Sobrou a bandeira da supressão da voz dos que discordam deles. Mesmo isso não pode ser feito com a dureza promulgada por Lenin (“Nosso governo não aceitaria uma oposição de armas letais. Mas ideias são mais letais que armas.”).

O maior ideólogo da censura à imprensa, cujo nome sai com a facilidade dos perdigotos da boca dos esquerdistas brasileiros, é o italiano Antonio Gramsci (1891-1937). Como a revolução pelas armas se tornou inviável, Gramsci sugeriu a via do lento envenenamento ideológico da cultura, do idioma e do pensamento de um país. É o que tentam fazer os conselhos, conferências e planos patrocinados pelo PT. É neles que se dá a alquimia gramsciana. Ela começa pela linguagem. A implantação da ditadura com o fechamento do Congresso é vendida como “democracia direta”; a censura aparece aveludada como “controle da qualidade jornalística”; a abolição da propriedade privada dilui-se na expressão “novos anteparos jurídicos para mediar os conflitos de terra”. Tudo lindo, pacífico, civilizado e modernizador. Na aparência. No fundo, é o atalho para a servidão. Thomas Jefferson neles, portanto: “…entre um governo sem imprensa e uma imprensa sem governo, fico com a segunda opção”.

Fotos Bettmann/Corbis/Latinstock
 

Um tema, duas visões 

No século XVIII, o futuro presidente americano Thomas Jefferson já enxergava a liberdade de imprensa como um dos pilares da democracia. No século XX, o bolchevique Lenin inaugurou a doutrina esquerdista que vê no jornalismo independente uma ameaça a ser combatida

 

“Se eu tivesse de decidir entre ter um governo sem jornais e ter jornais sem um governo, eu não hesitaria nem por um momento antes de escolher a segunda opção.”

Thomas Jefferson, em 1787

“Dar à burguesia a arma da liberdade de imprensa é facilitar e ajudar a causa do inimigo. Nós não desejamos um fim suicida, então não a daremos.”Vladimir Lenin, em 1912  

 

 Fonte: http://veja.abril.com.br/270110/obsessao-totalitaria-p-064.shtml

PNDH-3: O golpe, de novo

leave a comment »

A Notícia – 24 de janeiro de 2010. | N° 654

O golpe, de novo

por Apolinário Ternes*

Desde a divulgação da “Carta aos brasileiros”, em meados de 2002, ficou estabelecido o princípio basilar de o PT sepultar a ética e a coerência sempre que estiver em disputa o poder. Agora, com o Programa Nacional de Direitos Humanos, o governo tenta, mais uma vez, anular a Constituição e estabelecer a tutela da Nação. Um governo que abriga ex-terroristas, muitos em cargos importantes, não poderia encerrar dois mandatos sem ao menos tentar colocar em prática as teorias e ações ditatoriais que defende. Os ex-guerrilheiros do governo não hesitaram em adotar o terrorismo para derrubar a ditadura de 1964 e colocar a ditadura deles no lugar daquela. Não conseguiram nas décadas de 1960 e 1970 pelas armas, tentam agora extinguir o Estado de direito pelo golpe da caneta.

O Plano Nacional de Direitos Humanos, documento extenso de 80 páginas, que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou sem ler e que decidiu abrandar com pequenas revisões, tem a quase unanimidade de protestos das instituições democráticas da Nação. Militares, religiosos, entidades de representação de classe da mídia, dos advogados e até mesmo dos agricultores, rebelam-se diante da tentativa de invalidar a Constituição e colocar a ordem e o direito sob o manto do autoritarismo.

O PNDH é um atentado à democracia e abjeta tentativa de tornar o Brasil uma republiqueta de banana, com fanáticos tentando avançar nas mais elementares regras de convivência democrática. Da retirada de identificação de praças e edificações públicas de nomes ligados ao regime militar, passando pela anulação da Lei de Anistia, o Programa de Direitos Humanos interfere em quase tudo, desde a propriedade privada à proibição de símbolos religiosos em locais públicos e até na questão do aborto. Como disse dom Lara Resende, secretário-geral da CNBB, “daqui a pouco vamos ter que demolir a estátua do Cristo”, aquela do Rio de Janeiro. Em tempo, os veículos de comunicação de massa, igualmente, serão submetidos a “comitês de acompanhamento”, com a imprensa só podendo publicar a versão jornalística que interesse ao Palácio do Planalto. Tudo, portanto, que não contribua para a edificação do mito de Lula fica proibido, em nome dos “direitos humanos”, versão dos ex-terroristas, cuja ambição continua a transformar o Brasil num país comunista, mesmo que o comunismo tenha acabado em 1989.

A nova tentativa vai dar em nada, pois deve morrer no Congresso. Assusta, porém, constatar que há gente interessada. E não desistem do golpe e da ditadura, apesar das derrotas sucessivas dos últimos anos. Felizmente, apesar das mazelas e do altíssimo índice de corrupção da vida pública, a democracia se mantém – por quanto tempo? – e a Nação resiste às alopradas tentativas de se revogar a Constituição.

A revista “Veja” diz que o Programa Nacional de Direitos Humanos é “coisa de maluco”. Mesmo assim, é preciso lembrar que Hugo Chávez, Evo Morales e outros presidentes menos votados também, no começo, foram classificados de “malucos”. E, no entanto, conseguiram arruinar suas nações.

Aqui, mesmo com o presidente Lula assinando o que não lê, são lançados “pacotes” malucos que tentam censurar e dirigir a imprensa, controlar a cultura, desfigurar a propriedade privada e estabelecer “comitês de controle popular”.

De qualquer forma, foi de trapalhada em trapalhada que o PT se cobriu de vergonha em todo o País. Em ano de eleição, é bom saber que eles não desistem e tentam aplicar ideias do século 19, rejeitadas em todo o planeta. Pode ajudar o eleitor a perceber que “coisa de maluco” é votar em gente assim. Os aloprados de Lula, de fato, são invencíveis na obtusidade, na arrogância e no radicalismo.

aternes@terra.com.br 

*Historiador e jornalista

Fonte: A Notícia, SC
http://www.clicrbs.com.br/anoticia/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a2786982.xml&template=4187.dwt&edition=13974&section=882

PNDH-3: Um golpe em andamento

with 2 comments

Revista Veja, edição 2147, 13 de janeiro de 2010.

Direitos humanos: Um golpe em andamento 

Brasil

Coisa de maluco

Ai, ai… Um decreto do governo defende a censura à imprensa e ataca o direito de propriedade. Pelo jeito, eles não desistem

Rodrigo Paiva/ Folha Imagem
DESUMANO
O secretário Paulo Vannuchi, ex-militante de
organização terrorista e artífice do decreto:
se não foi com revólver, vai com caneta

 

Era pior do que parecia – e a aparência já não era nada boa. Em dezembro, o Decreto dos Direitos Humanos, gestado pelo secretário especial de Direitos Humanos, o ex-terrorista de esquerda Paulo Vannuchi, provocou uma crise nas Forças Armadas ao propor a revisão da Lei da Anistia e a punição dos militares que cometeram crime de tortura durante o regime ditatorial. O surto de revanchismo constrangeu até o presidente Lula – obrigado a dizer que havia assinado o documento sem lê-lo. A afirmação do presidente fica tanto mais surpreendente agora, quando se revela a amazônica extensão do decreto cuja parte mais relevante ainda deve ser votada no Congresso. É praticamente uma revogação da Constituição Federal na garantia dos direitos democráticos mais básicos. Ao longo de 73 páginas eivadas de vociferações ideológicas e ataques ao “neoliberalismo” e ao agronegócio, o documento volta a propor o controle da imprensa, a prática de referendos e outras práticas de “democracia direta”, e a criação de leis que protegem invasores de terra em detrimento de suas vítimas. Nos três casos, fica claro que a preocupação com os “direitos humanos” figura no documento muito menos como propósito do que como pretexto para tentar fazer descer goela abaixo da sociedade propostas que o governo já tentou impingir-lhe de outras formas, sem sucesso.

Além de propor punições, que vão de multa à cassação de outorgas, a veículos de comunicação que publiquem informações consideradas contrárias aos direitos humanos, o decreto prevê um “acompanhamento editorial” das publicações de modo a elaborar um ranking de veículos que mais respeitam ou violam os ditos direitos (da forma como eles são compreendidos pelo governo, evidentemente). Em relação à questão agrária, as medidas que o Executivo pretende aprovar no Congresso não são menos estarrecedoras: o governo quer a “priorização” de “audiências públicas” entre fazendeiros e sem-terra antes que a Justiça conceda liminares no caso de invasões. Se houver mandado de reintegração de posse, o decreto sugere, candidamente, que o cumprimento da ordem seja “regulamentado”. Como liminares constituem, por definição, medidas urgentes que se destinam a evitar prejuízos e ordem judicial é para ser cumprida e não regulamentada, resta evidente que o decreto visa a proteger os invasores e obstruir o acesso dos fazendeiros à Justiça.

O decreto produzido pelo ex-terrorista de esquerda Vannuchi – com a colaboração dos ministros Tarso Genro, da Justiça, e Franklin Martins, da Comunicação Social, sempre eles – não se limita, porém, a lançar ideias sobre como censurar a imprensa, extinguir o direito à propriedade e emular o sistema chavista de “consultas populares” como forma de neutralizar os poderes da República. Numa espécie de samba do petista doido, ele dispõe ainda sobre assuntos que vão do apoio às organizações de catadores de materiais recicláveis à mudança de nomes de ruas e prédios públicos – aqueles que não estiverem de acordo com o gosto dos bolcheviques que ora habitam o Planalto, claro.

Na juventude, o secretário Vannuchi tentou transformar o Brasil em uma ditadura comunista por meio da guerrilha – ele foi militante da Ação Libertadora Nacional (ALN), organização terrorista esquerdista. Agora, no crepúsculo da vida, tenta fazê-lo à base de canetadas. De uma forma e de outra, o ex-terrorista de esquerda Vannuchi entrou para a história pela porta dos fundos. Seu decreto é como achar que se pode matar inocentes em nome de uma causa política: coisa de maluco.

Fonte: http://veja.abril.com.br/130110/coisa-maluco-p-064.shtml

Nova investida contra a democracia

leave a comment »

Estadão/Opinião/Editorial

Terça-Feira, 19 de Janeiro de 2010 | Versão Impressa

Nova investida contra a democracia

Vem aí mais um ataque à liberdade de informação e de opinião, preparado não por skinheads ou outros grupos de arruaceiros, mas por bandos igualmente antidemocráticos, patrocinados e coordenados pelo governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A 2ª Conferência Nacional de Cultura, programada para março, foi concebida como parte de um amplo esforço de liquidação do Estado de Direito e de instalação, no Brasil, de um regime autoritário. O controle dos meios de comunicação, da produção artística e da investigação científica e tecnológica é parte essencial desse projeto e também consta do Programa Nacional de Direitos Humanos, outra desastrosa proposta do governo petista. O texto-base da conferência poderia figurar num museu de teratologia política, como exemplo do alcance da estupidez humana. Antes de enviá-lo para lá, no entanto, será preciso evitar a sua conversão em roteiro oficial de uma política de comunicação, ciência e cultura.

A palavra cultura, naquele texto, é usada com tanta propriedade quanto o verbo “libertar” na frase famosa “o trabalho liberta”, instalada sobre o portão de Auschwitz. “O monopólio dos meios de comunicação”, segundo o documento, “representa uma ameaça à democracia e aos direitos humanos.” É verdade, mas não existe esse monopólio no Brasil nem nas verdadeiras democracias. Um regime desse tipo existe em Cuba, como existiu noutras sociedades submetidas a regimes totalitários, sem espaço para a informação, a opinião e o confronto livre de ideias. Muitos dos companheiros do presidente Lula, entre eles alguns de seus ministros, nunca desistiram da implantação de algo semelhante no País. Segundo Lula, sua carreira política teria sido impossível sem a liberdade de imprensa, mas hoje essa liberdade é um empecilho a seus projetos de poder.

O documento defende “maior controle social” sobre a gestão de rádios e TVs públicas. Mas “controle social”, em regimes sem liberdade de informação e de opinião, significa na prática o controle total exercido pelo pequeno grupo instalado no poder. Nenhum regime autoritário funcionou de outra forma. Também a palavra “social”, nesse caso, tem um significado muito diferente de seu valor de face.

É preciso igualmente controlar a tecnologia: este princípio foi adotado desde o começo do governo Lula. Sua aplicação só não liquidou a Embrapa, um centro de tecnologia respeitado em todo o mundo, porque a maioria da comunidade científica reagiu. A imprensa teve papel essencial nessa defesa da melhor tradição de pesquisa. Isso a companheirada não perdoa. No caso do presidente Lula, o desagrado em relação à imprensa é reforçado por uma espécie de alergia: ele tem azia quando lê jornais.

Mas o objetivo não é apenas controlar a pesquisa. É também submetê-la a certos “modelos”. “No Brasil, aprendemos pouco com as culturas indígenas; ao contrário, o País ainda está preso ao modelo colonial, extrativista, perdulário e sem compromisso com a preservação dos recursos naturais”, segundo o documento.

Cultura extrativista, ao contrário do imaginado pelo companheiro-redator desse amontoado de bobagens, era, sim, a cultura indígena. O agronegócio brasileiro, modernizado, eficiente e competitivo, não tem nada de colonial, nem na sua organização predominante nem na sua tecnologia, em grande parte fornecida pela pesquisa nacional de mais alta qualidade. Ou talvez o autor daquela catadupa de besteiras considere colonial a produção de automóveis, tratores, equipamentos industriais e aviões. Não deixa de ter razão. Os índios não fabricavam nenhum desses produtos, mas indígenas das novas gerações não parecem desprezar essas tecnologias.

Segundo a secretária de Articulação Institucional do Ministério da Cultura, Silvana Lumachi Meireles, nenhuma proposta contida no documento pode gerar polêmica. Todos os itens, argumentou, foram referendados em conferências regionais. Mas conferências desse tipo não têm o poder de transformar tolices em ideias inteligentes nem propostas autoritárias em projetos democráticos. O governo insistirá, a imprensa continuará resistindo. A oposição poderia ajudar a conter esse projeto insano, se deixasse o comodismo e mostrasse mais disposição para defender a democracia do que mostrou diante do ameaçador decreto dos direitos humanos.

Fonte: http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100119/not_imp497938,0.php

Psicóloga Rozangela Justino é punida por oferecer ajuda a pessoas que querem deixar de ser homossexuais

with one comment

O Conselho Federal de Psicologia (CFP) decidiu, nesta sexta-feira (31/07/2009), aplicar a pena de censura pública a Rozangela Alves Justino, pelo fato de a psicóloga oferecer terapia para pessoas que voluntariamente querem deixar o comportamento homossexual.

Uma polêmica resolução do CFP de 1999 proíbe os psicólogos de tratar a homossexualidade como doença, distúrbio ou perversão e de oferecer qualquer tipo de ajuda terapêutica nesse sentido.  

Informações relacionadas:

Vídeo: Psicóloga Rozangela Justino é perseguida pelo movimento gayzista 

Olavo de Carvalho: Gayzismo e Conselho Federal de Psicologia

Salém é aqui – Eudes Alencar comenta o caso Rozangela Justino

Nota de repúdio contra decisão do CFP contra Dra. Rozangela Justino – Dep. Paes de Lira

Informações sobre decisão do CFP a respeito de Rozangela Justino

Resultado do julgamento de Rozangela Justino pelo CFP

Ditadura gay: Psicóloga cristã pode ter direitos cassados / Entrevista com Dep. Paes de Lira

Site da ABRACEH está fora do ar, mas abaixo-assinado continua disponível

Carta aberta ao Conselho Federal de Psicologia – sobre a punição da Psicóloga Rosângela Justino

Fundamentalismo gay pode destruir carreira de psicóloga cristã

Psicóloga cristã pode perder registro por tratar homossexuais

Rozangela Justino e Folha de S.Paulo: DIREITO DE RESPOSTA

NARTH – National Association for Research and Therapy of Homosexuality

Rede Globo de TV e o caso Rozangela Justino

A psicologia é uma ciência? – A intolerância dos ‘tolerantes’

Ex-travesti cuiabano é destaque no Fantástico deste domingo (26/07)

Psicologia: Pesquisa mostra que homossexuais podem mudar

URGENTE: Abaixo-assinado em apoio à Dra. Rozangela Justino

Ex-travesti, Joide Miranda será destaque no Fantástico neste domingo (26/07)

Sinais inquietantes

Julgamento de Rozangela Justino é adiado

Apoio à Dra. Rozangela Justino

Mordaça gay em ação: o caso Rozangela Justino

Gayzismo: Psicóloga Rozangela Justino será julgada pelo CFP (29/05/2009)

Psicóloga cristã é perseguida e processada por ativistas gays 

Fonte: Liberdade de Expressão – http://liberdadedeexpressao.multiply.com

Atualização, outubro/2009:

Ver também:

Vídeo: Pr. Silas Malafaia entrevista ex-travesti Joide Miranda

%d blogueiros gostam disto: